Impressões: Os Cavaleiros do Zodíaco - Bravos Soldados


Se tem uma coisa que a vida me ensinou é o seguinte: nunca espere muita coisa de jogos baseados em um anime. 

Sabendo disso, vamos lá:

Que gráficos!
Os Cavaleiros do Zodíaco - Bravos Soldados é o segundo jogo da série lançado para o Playstation 3, foi desenvolvido pela Dimps e lançado aqui em 26/11/2013, totalmente localizado em português brasileiro. Assim que fiquei sabendo que esse jogo seria lançado, fui conferir as imagens, e vi que finalmente iriam desenvolver o jogo com gráficos em cel shading. Isso elevou o cosmo no meu coração um pouco minhas esperanças para um bom jogo, um melhor do que o Batalha do Santuário foi. Logo fiquei sabendo que englobaria todas as sagas do mangá (Santuário, Poseidon e Hades), e fiquei muito animado, finalmente teriam os personagens da Saga do Poseidon pela primeira vez em um jogo da série. Bravos Soldados é um jogo de luta, não que o estilo musou do jogo anterior ficou ruim, mas luta tem mais a ver com a proposta do anime. Tem tudo para dar certo e ser um bom jogo, concorda?

Se você concordou, se enganou como eu. O jogo não é ruim, mas também não é nada demais, é bem medíocre. Pela primeira vez temos o modelo dos personagens com cel shading, o que confere um visual muito bonito ao jogo, semelhante aos jogos do Naruto. Todos os jogos anteriores usavam gráficos em um estilo mais puxado para o 'real', que era bem legal, mas esses gráficos novos ficaram muito legais!

O gameplay é bem básico e segue o mesmo esquema dos jogos de Playstation 2, dois botões de ataque, um de defesa, um para queimar ui o cosmo. Também contamos com um botão para esquiva, que te leva por trás do oponente ui, algo bem parecido com os jogos do Naruto também. O jogo não dá muita liberdade para criar combos, e os especiais (chamados Big Bang) são difíceis de acertar. e é daqueles jogos de luta 3D, como Naruto e Dragon Ball Z Budokai Tenkaichi. Isso torna o combate meio travado, e as lutas são um pouco demoradas. Pela primeira vez temos um modo online, no qual eu joguei duas vezes somente. Até me surpreendeu, as lutas não tiveram lag, e tudo fluiu ok.

Chatice
O jogo conta com um modo história e com vários sub-modos para manter os jogadores offline entretidos, e é no modo história que o jogo mostra a maior decepção que eu tive: não há animações. Toda a história flui através de diálogos entre as fotos dos personagens na tela, e algumas vezes aparecem algumas fotos do anime. Isso mostra como foi porcamente desenvolvido, pois o primeiro jogo do Playstation 2 de duas gerações atrás, o Saint Seiya Sanctuary Chapter, tinha várias animações e era apresentado como se fosse um episódio do anime, era muito legal. O fato de não ter essas animações torna o modo história muito chato, pois você só fica ouvindo a conversa da foto dos personagens. Eu sei que é um jogo de luta e que a história não é o foco, mas também é um jogo de anime, e como eu disse, o primeiro jogo do PS2 tinha essas animações, o que não dá desculpa para não ter agora.

Claro que o jogo não foi dublado, mas este é um exemplo de como o jogo era completo

Ai você pensa:
"É AGORA QUE O BAGUIO VAI FICA DAHORA!!1!"
Só que não.
Uma outro ponto me decepcionou muito: estava jogando já na Saga do Poseidon, e o na segunda parte da luta do Hyoga de Cisne contra o Isaak de Kraken a armadura do primeiro ganha um brilho dourado. Mas na luta em si não! E por que você me pergunta. E eu te respondo: não tem no jogo porque as armaduras de bronze douradas estão a venda por DLC. Que decepção. No Saint Seiya The Hades de Playstation 2 tinha todas as armaduras em suas diferentes versões. É triste, muito triste mesmo perceber que um jogo de Playstation 2 é mais completo do que um novo lançado para Playstation 3. Isso reflete muito o estado da indústria atualmente onde as empresas preferem cortar os jogos para lançar DLC depois, isso é ridículo. E esse Saint Seiya está cheio de DLC's já lançados e muitos outros anunciados.
Mais um exemplo de como os jogos antigos de outra
geração eram mais completos do que os de hoje:
Esses dois são DLC's pagos nessa geração
Minhas considerações: Bravos Soldados é um jogo bem meia boca, que com certeza vai agradar somente os fãs, e olha lá. Se você não comprou ainda o Batalha do Santuário (o jogo anterior, no estilo musou) considere comprar ele no lugar do novo, ele é um jogo muito mais divertido. Ou se quiser jogos completos, jogue os de Playstation 2. Não me entenda mal - o jogo não é tão ruim que você não vai se divertir nele - é só que ele é bem meia boca mesmo, como todos os outros jogos baseados em anime. 

CONTATO:

theplayerhood@gmail.com
© Copyright 2015 Playerhood. Designed by Bloggertheme9 | Distributed By Gooyaabi Templates.