Entrevista com Ashley Johnson sobre o DLC de The Last of Us


The Last of Us está para ganhar um DLC de história single-player chamado Left Behind, que contará uma história antes da campanha principal e terá uma nova personagem - Riley [Yaani King]. Confira a entrevista com Ashley Johnson, que conta como foi retornar para a personagem Ellie.


Quando começou o seu envolvimento com Left Behind?
Ashley Johnson: Pouco depois do lançamento do The Last of Us, eu almocei com Neil [Druckmann, diretor criativo]. Nós nos sentamos e ele disse “Tá, eu vou te contar a história para o DLC.” Eu estava sentada lá e completamente tomada pela história; muito animada. Eu adorei a ideia de ser uma espécie de introdução, e de você encontrar uma Ellie mais nova e descobrir de onde vem seu comportamento. Depois disso, começamos bem rápido as audições para escolher uma atriz para a Riley.

O quão diferente é a Ellie que encontramos em Left Behind da que conhecemos na campanha original do The Last of Us?
Johnson: Você meio que pode conhecê-la de verdade. Ela está na zona de quarentena antes dos eventos de The Last of Us – ela e sua melhor amiga Riley – o que elas fazem e como elas vivem nesse mundo. Você com certeza vê um lado mais brincalhão de Ellie e pode conhecê-la um pouco melhor. Você verá vários lados diferentes da personagem que você não viu em The Last of Us. Estou animada para as pessoas poderem o experimentar!

Como é que é a “sensação” da campanha do Left Behind e como o universo do jogo difere do de The Last of Us?
Johnson: Com certeza é diferente. É um pouco mais “divertido”, porque você tem essas duas adolescentes indo ao shopping. É meio que uma versão pós-apocalíptica de duas adolescentes passando um tempo juntas. Claro, não um tempo normal! É bem diferente – um pouco mais brincalhão.
Tem um pouco de tudo lá. Você tem uma nova sensação do ambiente. Você entrará em um combate que parece familiar ao da campanha original, mas tem alguns toques e nuances novas também.


Na campanha original, Ellie mencionou ter sido mordida por um dos infectados quando estava com Riley. Isso é algo que nós vamos descobrir mais sobre?
Johnson: Tem muito do que você vai conhecer sobre a Ellie. Você terá que jogar e descobrir!

Como foi o desafio de começar do zero e interpretar uma Ellie mais nova, mais inocente, que ainda experienciará os eventos traumáticos de The Last of Us?
Johnson:  Foi um pouco desafiador colocar de lado tudo o que tínhamos passado, mas quando Yaani chegou, ela era tão divertida e tão boba que meio que trouxe à tona minhas próprias tendências infantis também. Foi perfeito. Isso é muito significante para a história porque Riley é sua melhor amiga – este é um lado da Ellie importantíssimo que as pessoas precisam conhecer.

Como é a dinâmica do relacionamento entre Ellie e Riley? Eu presumo que é diferente de Ellie para com Joel.
Johnson: Foi interessante, depois de trabalhar com Troy [Baker] e a personagem de Joel por dois anos, voltar ao estúdio e trabalhar com alguém totalmente novo. O relacionamento com Riley é muito diferente daquele com Joel – primeiro, elas são melhores amigas e segundo, ambas são adolescentes. Existem um tom de brincadeira e de bobagem que não estavam lá necessariamente com Joel! É um tipo diferente de relação – eu a adoro. Algumas das coisas que gravamos para o Left Behind estão entre as minhas favoritas, considerando todo o projeto.


Como foi trabalhar com Yaani King?
Johnson: Ela foi incrível. Durante as audições, eu pude estar lá para interpretar com diferentes Rileys que a Naughty Dog estava procurando. Quando ela chegou, ela era exatamente como eu sempre a imaginei, e quem eu tinha em mente. Ela era difícil, mas realmente divertida. Ela foi perfeita, e eu estou feliz que todos gostaram dela o tanto quanto eu também.
Yaani é uma atriz incrível e ela formou a Riley perfeita. Era como se ela estivesse lá desde o começo, o que eu penso de algum jeito o que é muito difícil. Todos na Naughty Dog são tão incríveis e todos os recém chegados se sentem muito bem recebidos, mas ainda é difícil chegar em um set onde as pessoas já estão trabalhando juntas por tanto tempo. Ela fez isso tão fácil.


Fazer a captura de movimentos pela primeira vez deve ser desafiador para uma nova atriz – você sentiu que devia ensiná-la?
Johnson: Teve um pouco disso, o que foi engraçado, porque era como se eu estivesse no lugar do Troy. Mas ela é tão profissional. Ela simplesmente colocou sua roupa e era como “Tá, vamos fazer isso.” Ela teve a atitude da Riley desde o começo, o que foi ótimo.

Como foi não ter o Troy perto desta vez?
Johnson: Eu estava tão acostumada a trabalhar com o Troy e eu acho que muito da minha confiança e conforto no set vinham dele porque ele é muito profissional. Então quando foi eu e alguém novo eu estava um pouco nervosa. Mas eu acho que isso ajudou de algum jeito, já que eu sentia que estava fazendo algo novo. Teve um pouco de insegurança ali – “Troy não está aqui e ele é o melhor nisso!” – mas eu acho que isso realmente ajudou de algum jeito porque eu estava interpretando uma Ellie mais nova que tinha suas inseguranças como adolescente.

Faz seis meses ou mais desde o lançamento de The Last of Us. Qual foi o impacto que o jogo teve na sua vida e carreira?
Johnson: Neste ponto da minha vida, The Last of Us é 100% com certeza meu trabalho favorito. Você deve pensar que trabalhar em algo por dois anos não seria uma coisa divertida de se fazer, mas eu fui surpreendida pela responsabilidade. Quando estávamos trabalhando nele, eu acho que todos sabiam ser algo especial. Eu me sinto sortuda por ter conseguido ser parte dele – mais ainda por causa da responsabilidade com Ellie e a forte personagem feminina que ela é.


A entrevista é do Playstation Blog e foi traduzido e adaptado por mim.

CONTATO:

theplayerhood@gmail.com
© Copyright 2015 Playerhood. Designed by Bloggertheme9 | Distributed By Gooyaabi Templates.