Memórias #01 'Pokémon Gold'




Pokémon Gold, meu jogo favorito da franquia e o jogo que provavelmente mais me dediquei/joguei na vida. O certo seria falar primeiro de Red/Blue/Yellow, mas Gold foi o mais marcante para mim. Mas parando para pensar, percebo como estranho isso é, gostar de Pokémon. Pois se você observar apenas a primeira camada do jogo, você percebe o quão simples é: história bem básica, gameplay simples que te motiva a capturar monstros que aparecem no mato, um sistema de combate de turnos com visão em primeira pessoa (odeio RPGs assim). É que eu sempre gostei de jogos mais profundos, com jogabilidade que exige mais de você como gamer e com histórias marcantes, melhores desenvolvidas e cheia de plot twists, e isso desde bem cedo, já na época que jogava essa versão de Pokémon (). Mas a febre Pokémon que começou no Brasil chamou minha atenção, e quando você percebe a segunda camada do jogo, meu amigo, ou você pula de cabeça nas mecânicas ou larga ele de vez. Essa camada envolve cruzamento de espécies, calcular stats máximos de cada cria que saía do ovo, treinar gastando pontos invisíveis, cálculos, cálculos e cálculos. E eu só percebi essa camada em Gold.



Todos os jogos de Pokémon que eu possuo
Caixa dos jogos

Manual da Silver japonesa que eu tive primeiro
Meu começo com essa versão foi difícil. Ao mesmo tempo que dava meus primeiros passos na versão Red já tinha sido alertado para uma continuação que estava saindo no Japão. Assim que avistei a versão Silver vendendo na 25 de Março (para quem não é de São Paulo, é um lugar que vende praticamente de tudo) pedi de presente para meu paizinho. Eu era novo e na época dependia da família para jogar novos jogos. Mas o que acontece é que esse primeiro cartucho que ganhei era em japonês rapaz, e na época eu não sabia japonês. Mas joguei sem medo (pensando bem, naquela época todos jogavam mesmo que fosse em japonês e não estavam nem aí né?). Com o passar do tempo, percebi que não daria para continuar daquele jeito, e eu queria participar dos campeonatos que rolavam aqui nos eventos de animê, então pedi a versão Gold de presente, e logo a ganhei. Mas a minha sorte sempre se manifesta nessas horas e o cartucho que ganhei era ruim. Mais que ruim. Além da bateria de salvamento durar só dois dias, o idioma do jogo era estranho: o nome dos Pokémons eram estranhos, não eram os originais, e em vários momentos parecia que o que os NPCs falavam estava reduzido, e tinha muitos caracteres estranhos, fora de lugar, uma merda. A decepção foi grande (mas quem manda ir comprar o cartucho pirata também né ô bonitinho?).
Andei muito nesse mapa!




Expliquei a situação para meu pai, e assim que pôde ele me deu o cartucho original. Aí sim! Finalmente ia jogar o jogo certo! Cara, não dá pra explicar a minha felicidade naquele momento! Um mundo novo de aventuras abria suas cortinas ante a mim, pedindo para ser explorado, para ter todos os segredos revelados daquele, com a perdão do trocadilho, mundo de ouro!




Pouco tempo depois comecei a
jogar a Crystal também
Agora pensa comigo: na época eu só estudava, não trabalhava ainda. Durante algum tempo minha vida se resumiu em escola de manhã > Pokémon Gold o resto do dia. Me dediquei bastante, logo comecei o treinamento pros campeonatos, que eram bem legais, tinham ginásio com seus líderes e assim que você ganhasse todas as insígnias poderia desafiar a elite dos 4. A primeira vez que participei foi em 2001 se não me engano, e perdi logo na segunda rodada do torneio. Mas isso era o mais legal do Pokémon: a interação com os outros jogadores. Você podia batalhar, trocar pokémons raros, trocar pokémons prontos para batalha, trocar mensagens. Fiz muitas amizades naquela época! 

E uma das coisas mais legais que esse jogo conseguiu foi unir eu e meu pai. Não que fôssemos desunidos ou coisa do tipo. Mas foi muito legal, ele acompanhava meu treinamento, me ajudava na matemática da coisa, anotava stats, me incentivava a participar dos torneios. Foi uma época muito legal e marcante na minha vida! 
Meu vício: shinies


Um dos meus grandes passatempos era caçar pokémon shiny. Quando o pokémon tem uma coloração diferente, ele é denominado shiny. Achar um no mato é muito difícil. O jeito era ter um Ditto shiny e cruzar com o pokémon que você queria, e chocar váaaaaaaaaaaaaarios ovos até conseguir. Eu tinha boxes e boxes lotados com eles, sempre procurava outras pessoas para trocar comigo.






A partir desse só joguei para finalizar os jogos

Com a chegada da nova geração com as versões Ruby e Sapphire, eu abandonei. O treinamento ficou mais chato, mais demorado e eu perdi a paciência. Mas tudo o que passei ficou marcado, posso dizer que essa foi a época de ouro (Ba Dum Tss) da franquia para mim!







CONTATO:

theplayerhood@gmail.com
© Copyright 2015 Playerhood. Designed by Bloggertheme9 | Distributed By Gooyaabi Templates.